A Comunicação, fundamental na nossa saúde emocional



O ser humano é um ser social por natureza e os sistemas sociais (família, comunidade, sociedade...) surgem a partir da comunicação. Logo, podemos afirmar que a comunicação é um aspecto básico nas relações. Mas comunicar não é apenas decidir se falamos ou se escutamos é, sobretudo, ser capaz de pôr algo em comum.



Paul Watzlawick define comunicação como um " conjunto de elementos em interacção onde qualquer modificação de um deles afecta as relações entre os restantes.". Esses elementos são: o emissor, o receptor, a mensagem, o código, o canal e a situação ou o contexto.



Nas mensagem que trocamos, existem três níveis de comunicação que desempenham um papel muito importante Junto da forma como expressamos as nossas emoções:

  • Básico - implica uma relação mínima, sem compromisso. É ter muito pouco em comum. Trata-se de um tipo de comunicação que é necessária. Neste nível a implicação emocional é escassa ou nula (dependendo da situação poderia, por exemplo, ser elevada quando anteriormente se teve uma relação pessoal)

  • Temático - o processo de comunicação começa por pôr algo em comum: tarefas, interesses, passatempos.... Este tipo de comunicação geralmente não causa um envolvimento emocional muito alto, por norma é neutro dependendo da pessoa e da situação.

  • Pessoal ou íntimo - a comunicação surge porque partilhamos conhecimento, interesses íntimos e, sobretudo, existe uma relação de confiança mutua. Neste nível de comunicação a implicação emocional é bastante elevada tanto positivamente como negativamente.

Para comunicarmos utilizamos códigos verbais e não verbais. Tanto num caso como no outro os elementos da comunicação estão todos presentes. A linguagem não verbal é necessária para codificar ou descodificar parte das mensagens verbais e têm como função mostrar intimidade, apoio, controlo, poder, disfarçar os enganos, impressionar, estruturar a conversa, expressar as emoções, etc...

Dependendo de como as mensagens verbais e não verbais estão relacionadas, ocorrem 2 tipos de comunicação:


  • Comunicação completa - em que as mensagens verbais e não verbais reforçam-se umas às outras, são coerentes;

  • Comunicação incompleta - em que predominam as mensagens de um só tipo (ou verbais ou não verbais) onde falta informação e a pouca que existe pode ser mal entendida.

  • Comunicação Contraditória - em que as mensagens verbais e não verbais contradizem-se o que faz com que a mensagem fique débil, altere o sentido ou se anule.

São 3 os âmbitos de estudo da comunicação não verbal:


  • Kinesia - que se ocupa da comunicação não verbal expressada através dos movimentos do corpo e dos gestos.

  • Paralinguística - que estuda o comportamento não verbal expressado através da voz (tom de voz, timbre, volume...)

  • Prosémica - que se encarrega de estudar o comportamento não verbal relacionado com os espaço pessoal e as distâncias.

  • Outras: a comunicação através do tacto, dos odores, aspecto corporal....

A comunicação pode ser utilizada de muitas maneiras com muitas finalidades porém, não queremos terminar este artigo sem antes falarmos sobre os efeitos perversos que a comunicação pode ter, que dificultam e influenciam negativamente as nossas emoções:

  • A Pseudo-comunicação - quando estamos perante uma situação em que achamos que

estamos a estabelecer uma conversa mas, na realidade, trata-se de um monólogo a duas mãos. nestas circunstâncias não existe interacção porque cada um fala para seu lado.

  • A Incomunicação - dá-se quando nos sentimos separados, isolados, afastados ou sós. Os diversos acontecimentos da vida influenciam o modo como comunicamos como por exemplo as mudanças repentinas, desemprego, situação de doença, acidentes, perda de um familiar ou amigos, as decepções,....

  • Outras atitudes pessoais que provêem de experiências anteriores, que ao nível do nosso inconsciente se transformam em ideias fixas e que se traduzem em desconfiança, em dificuldades de aceitar as críticas, em termos uma visão mais pessimista e problemática da realidade e em acharmos que não temos nada de bom para dar aos outros.

Todos estes comportamentos influenciam/alteram significativamente o nosso estado emocional e psicológico. Em muitas ocasiões sentimos coisas e não sabemos porquê, esses sentimentos podem ser resultado de uma comunicação fraca ou pouco eficiente. Se deseja aprofundar mais este tema inscreva-se no nosso próximo curso "A arte de comunicar bem" que se realiza a 24, 25 r 26 de Maio. Para mais informação e preenchimento da ficha de inscrição clique "AQUI".

Recent Posts
Featured Posts
Follow Us
Search By Tags
Archive
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 VOADES - Vozes Amigas de Esperança Portugal

  • w-facebook
  • Twitter Clean
  • w-googleplus
  • Blogger Limpa